Uma parceria entre a Prefeitura de Ji-Paraná, o Governo do Estado de Rondônia e o Governo Federal tem dado bons resultados em relação à capacitação de Agentes Comunitários de Saúde de Ji-Paraná. Os profissionais estão finalizando o curso de Vigilância em Saúde, oferecido pelo Centro de Educação Técnico Profissional na Área de Saúde (Cetas), vinculado à Secretaria de Saúde do Estado de Rondônia (Sesau).

Segundo o professor que ministrou as aulas em Ji-Paraná, Melquizedeck Fernando Santos, o curso iniciou em junho deste ano, e colabora no trabalho dos profissionais que são fundamentais para que a saúde preventiva de fato aconteça.

“Todos os meses oferecemos uma semana inteira de atividades práticas e teóricas para que os agentes comunitários tenham conhecimento sobre Vigilância em Saúde Pública. São eles que identificam os diabéticos, os hipertensos, pessoas com hanseníase e outras doenças que podem ser tratadas precocemente nas Unidades Básicas de Saúde. É um trabalho importantíssimo para a saúde do município”, explicou Melquizedeck.

             Segundo a coordenadora do Programa Estratégia Saúde da Família, Marlene Alencar, esta é uma grande parceria que fortalece o trabalho da Atenção Primária à Saúde no município.

“Os reflexos no trabalho das equipes são visíveis. Todo esse esforço faz parte de um projeto contínuo do Governo Federal para que os profissionais tenham constante formação sobre assuntos que colaboram no trabalho no dia a dia dos agentes. A intenção é que os profissionais estejam sempre se atualizando sobre assuntos pertinentes”, ressaltou.

            Marlene Alencar destacou ainda que o curso de Vigilância em Saúde foi oferecido em boa hora, pois os agentes estão cada vez mais envolvidos nos trabalhos de combate a dengue em Ji-Paraná. “Orientar a população sobre as doenças transmitidas pelo mosquito da dengue e ajudar na identificação dos criadouros, também é parte do trabalho deles. E nós sabemos que em Ji-Paraná mais de 80% dos criadouros estão nas residências. A população tem que ser motivada a colaborar nesta luta contra o aedes aegyti”, destacou.

 A agente comunitária de saúde, Eliete Pereira Jesuíno, que sempre participa das formações oferecidas pela Prefeitura, aprovou a iniciativa.

“Aprendemos muito durante esses seis meses de curso. Agora temos melhor consciência de que todos nós somos vigilantes em saúde nos bairros onde atuamos. Estamos mais fortalecidos e podemos contribuir ainda mais com a população. Uma das nossas missões é orientar os moradores para que eles também sejam vigilantes. Afinal nós somos a ponte entre o usuário e o serviço de saúde, encaminhando a unidade de saúde onde oferece o atendimento necessário”, destacou. 

Autor:

Assessoria

Prefeitura